AMIGOS DO BLOG VEJA E SINTA SEJA UM MEMBRO

8 de out de 2011

PAZ É AUSÊNCIA DE GUERRA ,ENTÃO ESSA MISSÃO É DE GUERRA.


Brasil enviou 300 militares para a Líbia

Objetivo do governo é encaminhar um contingente para a missão de paz das Nações Unidas
Objetivo é deixar o país em paz após a tomada de rebeldes / Karim Sahib/AFP Objetivo é deixar o país em paz após a tomada de rebeldes Karim Sahib/AFP
O Brasil enviou, na quinta-feira, um contingente de 300 militares para a missão de paz das Nações Unidas no Líbano, a Unifil. A fragata União, da Marinha, partiu do Rio de Janeiro com marinheiros, mergulhadores e fuzileiros navais, para uma missão de seis meses na costa libanesa.

O Brasil participa da missão desde fevereiro deste ano, quando o comando da Força-Tarefa Marítima da Unifil foi assumido pelo contra-almirante Luiz Henrique Caroli. Quatro oficiais e quatro praças brasileiros assessoram o comandante na missão.

Equipamentos

Apesar disso, o Brasil ainda não tinha enviado nem navios nem grandes contingentes militares para a missão, que já conta com a participação de embarcações e militares da Alemanha, da Grécia, da Indonésia, da Turquia e de Bangladesh.

A fragata União terá um helicóptero AH-11A Super Lynx, um destacamento de mergulhadores de combate, que poderá realizar operações especiais, e um de fuzileiros navais, que será responsável pela segurança do próprio navio. Além disso, a embarcação deverá servir como posto de comando para toda a força-tarefa.

“O Brasil, com isso, mostra sua capacidade de armar um navio de guerra e enviar para uma região longínqua, que necessita de um suporte logístico complexo, fazendo valer a sua estatura no cenário da nações. E isso com um objetivo muito nobre: o de fazer a manutenção da paz numa região, historicamente, com sérios problemas políticos”, disse o comandante da Força de Superfície da Marinha Brasileira, contra-almirante Savio Nogueira.

O navio brasileiro fará paradas em Recife, Las Palmas (nas Ilhas Canárias) e Nápoles (na Itália), antes de chegar a Beirute, no Líbano, no dia 14 de novembro. O retorno da embarcação para o Rio de Janeiro está previsto para junho de 2012.

De acordo com o contra-almirante, a Marinha tem condições de enviar um segundo navio, caso seja necessário substituir a fragata União, ao final da missão de seis meses. “Nós já estamos pensando em começar a nos preparar para um rodízio naquela área.”

A Unifil foi criada em 1978, com o objetivo de manter a estabilidade da região durante a retirada das tropas israelenses do Sul do Líbano. Cerca de 13,5 mil militares de 30 países participam da missão. A Força-Tarefa Marítima, no entanto, só foi criada em 2006, para apoiar a missão de paz na garantia da segurança da costa libanesa.

Nenhum comentário: